Introdução:
O Nintendo Entertainment System, nosso querido Nintendinho, tomou por início de sua carreira o caminho que condiz oferecer a melhor experiência arcade a ser possivelmente alcançada nos lares de seus consumidores naquele tempo. Em 1983, o console foi lançado nos Estados Unidos juntamente a 18 games disponíveis, sendo estes notórias adaptações dos arcades, como os inconfundíveis "Donkey Kong", "Mario Bros.", "Popeye", "Kung Fu". Outros foram reprogramados com base nos jogos arcade para oferecer diferentes experiências mas com nova roupagem, como "Clu Clu Land" e "Balloon Fight", este último o game escolhido para este review. Esta nova roupagem tem um significado mais claro quando observadas as influências que "vestiram" sua estrutura básica. Programação desenvolvida pelo brilhante e saudoso "Satoru Iwata", "Balloon Fight" surgiu nos arcades em 1984, no Famicom System em 1985 e em 1986 no Nintendo Entertainment System. Em 2002, o Gameboy Advance recebeu um port idêntico ao original através do e-Reader, acessório leitor de cartões que contém dados de jogos. Hoje, podemos adquirir "Balloon Fight" através do "Virtual Console" nos aparelhos WII e WII U, e também no portátil Nintendo 3DS. Além de estar disponível nas lojas virtuais da Nintendo, o game pode ser desfrutado em uma área específica do game "Animal Crossing" lançado para o Gamecube. "Balloon Fight" foi selecionado para fazer parte dos 30 títulos de lançamento do Nintendo Classic Edition, o mais novo retro-console produzido pela própria Nintendo com lançamento marcado para Novembro de 2016. Devido o prestígio de pertencer a seleta lista fechada de games para o Nintendo Classic Edition, será que "Balloon Fight" merece ser jogado nos dias atuais em televisores modernos na sala de estar? Ester review tem por objetivo responder esta pergunta!
Produção:
Joust, lançado pela Willians em 1982 para arcade
Programação assinada por Satoru Iwata, "Balloon Fight" apresenta praticamente a mesma jogabilidade do grande sucesso dos arcades de 1982 "Joust", produzido pela Willians Eletronics nos Estados Unidos. "Joust" consiste em batahas aéreas entre cavaleiros alados armados com lanças medievais que rasgam os céus através das asas velozes de... avestruzes! A principal característica de "Joust" é o controle de altitude e posicionamento, realizado através de eixos separados, sendo um botão para controlar a altitude e a alavanca para mover o personagem para esquerda ou direita. O critério de combate é determinado pela altitude dos combatentes, sendo fundamental manter a lança acima da linha dos adversários, atingindo-os na cabeça. O arcade apresenta um mapa estático, porém a variedade de inimigos e a liberdade de movimentação sem paredes nos cantos da tela garantem bons momentos de diversão.
Embora "Balloon Fight" seja aparentemente uma cópia da programação de "Joust" a primeira vista, Satoru Iwata se empenhou em implementar uma variedade de mapas e obstáculos. Yoshio Sakamoto trabalhou no design dos personagens, e teve por tarefa "transformar" a batalha de lanças medievais em um divertido combate por balões.
O Nintendo Entertainment System recebeu uma excelente conversão de "Joust" em 1988 através da HAL Laboratory, tendo Satoru Iwata novamente como programador.
Modos de jogo:
"Balloon Fight" traz dois modos de jogo distintos: um competitivo e outro progressivo (chamado Balloon Trip). O primeiro traz a opção para dois jogadores simultâneos em modo cooperativo (os jogadores podem competir entre si, porém o progresso de fases se dá pela eliminação de todos os inimigos). O jogador controla um personagem vestido de um traje que acopla dois grandes balões. Graças a leveza dos balões, o personagem pode voar agitando suas mãos constantemente. Acho muito curioso o fato do personagem começar a voar com o agitar das mãos, pois, não somente este que vos escreve, mas muitas outras pessoas já tiveram sonhos parecidos, onde um simples gesto com as mãos nos transporta para os ares como um grande salto. Será que "Balloon Fight" foi inspirado em algo nesse sentido? Pode ser que sim. Deixando os sonhos para a hora do sono, adversários mascarados com bicos afiados anseiam em estourar os balões do protagonista e encerrar mais cedo seu passeio pelos céus. O objetivo geral do jogo é derrubar os mascarados estourando seus balões em um confronto direto antes que eles tentem reagir. Mesmo estourando um balão adversário, ainda será necessário derrubá-lo do para-quedas que o salvou. O jogador dispõe de 3 vidas, perde uma vida cada vez que seus dois balões forem estourados.
O modo Balloon Trip consiste em sidescroller da direita para a esquerda, para apenas um jogador e sem adversários. O jogador deve testar sua perícia em controlar o vôo do protagonista, desviando-se de diversas fagulhas elétricas enquanto coleta balões pelo caminho, alcançando um melhor rankeamento à medida em que se progride.
Jogabilidade:
No início das fases do modo competitivo, o jogador tem a vantagem de ascender antecipadamente frente os inimigos que estão posicionados em terra firme enchendo seus balões. Este é o momento mais propício para atáca-los, visto estarem desprotegidos por alguns instantes. A rápida eliminação é estrategicamente vantajosa, porém, a pontuação é menor ao suceder investidas contra adversários desprotegidos de seus balões. A empolgação do título se deve aos embates aéreos, que faz jus ao seu nome. "Balloon Fight" requer habilidade nos controles, pois a intensidade empregada no direcional é diferente de quando seu personagem está no chão. Para controlar adequadamente o protagonista, é necessária precisão tanto para manter o personagem constantemente no ar quanto para direcioná-lo. A jogabilidade pode parecer estranha quando tentamos controlar nosso personagem pela primeira vez. Manter a altura do balonista não significa ter de apertar freneticamente o botão A (ou segurar o botão B) para mantê-lo no ar, bem como segurar o direcional não implica em manter a mesma velocidade de movimento. Pequenos toques no direcional já são suficientes para esbarrar desenfreadamete em diversas partes do cenário. A física de colisão é programada para repelir o jogador dos objetos que atinge, tanto inimigos quanto partes do cenário.
O comportamento dos adversários durante fase aérea varia de acordo com a cor da máscara e do casaco. Os inimigos de máscaras marrons e casacos claros são mais contidos, os de máscaras marrons e casacos verdes são moderados e os de máscaras vermelhas são mais agressivos. A pontuação por derrubar os inimigos mais ousados é maior em relação aos mais moderados. Cada vez que um balão de um inimigo é estourado e um pára-quedas se abre salvando-o, se o adversário não for novamente atingido e suceder pouso em terra firme, uma nova oportunidade de voltar ao céu surge para ele ao encher um novo balão. Se inimigos de comportamentos mais amenos conseguirem sobreviver e voltarem ao combate, retornarão mais agressivos, portando máscaras vermelhas.
Não apenas os inimigos oferecem perigos ao jogador, mas os cenários também! Os mapas apresentam objetos variados que merecem atenção. Todo cenario possui na parte inferior da tela um mar aberto de onde um peixe gigante abocanha desavisados que acabam se aproximando. É muito divertido derrubar inimigos e deixá-los caindo de pára-quedas ao mar. O jogador pode ser recompensado com 500 pontos adicionais a cada bolha que conseguir estourar, estas que surgem quando um inimigo é lançado na água. As nuvens lançam fagulhas elétricas que passeiam pela tela à busca do jogador como alvo. Algumas plataformas podem girar rapidamente em seu eixo, rebatendo o jogador ou os inimigos para longe. A tela não possui bordas, assim como em "Joust" e muitos outros arcades da época. Nos dias de hoje, é fácil esquecer de que os cantos da tela não possuem bordas de colisão, o que nos induz a falhas estratégicas algumas vezes quando perseguimos um inimigo do outro lado da tela.
Uma fase bônus é alcançada a cada três estágios concluídos. O objetivo deste estágio de bônus é estourar todos os 20 balões que surgem na tela.
O modo progressivo chamado "Balloon Trip" oferece um formidável desafio para quem gosta de "pilotar" balões. Desviar-se da chuva de fagulhas elétricas pelo cenário é bem desafiante! Quanto mais longe progredir nesta perigosa viagem de balão, maior é o rank atingido. Curiosamente, a tela tem progressão da direita para a esquerda.
Depois de algumas partidas, percebe-se duas qualidades ricas herdadas da jogabilidade de "Joust": a simplicidade de comandos do controle em conjunto com uma física tão específica de jogo. Estas duas qualidades mostram o quão divertida é jogar "Balloon Fight".
Gráficos:
Os personagens e objetos são coloridos e bem definidos, assinatura visual já constatada em outros arcades da Nintendo. O fundo preto apresenta alguns pontos luminosos bem sutis, o que não atrapalha a visualização dos demais objetos. A movimentação do personagem principal obedece os padrões constatados nos demais jogos da empresa, com excelente transição nos quadros de animação. Quando são derrotados, os inimigos se expressam de maneira divertida ao jogador, de pernas para o ar e olhos arregalados, bem como o personagem principal, que agita as mãos desesperadamente olhando para a tela.
A construção das fases é diferenciada e oferece novos mapas com o progresso do jogador, mas os cenários não apresentam variações visuais, apenas valendo-se da alteração de cores para simular ambientes diferentes.
De maneira geral, o jogo apresenta desenhos agradáveis tanto na definição dos sprites quanto na animação dos mesmos.
Músicas e Efeitos Sonoros:
A música tema, esta mais fácil de ser lembrada nos dias de hoje, é tocada durante o modo Balloon Trip e nas fases bônus do modo competitivo. Esta é a única música constante do game, sendo que as demais composições consistem apenas de pequenos trechos, característica marcante nos arcades. Quando um inimigo perde seu balão e se salva de pára-quedas, uma música é tocada enquanto ele está caindo. Outra música é tocada quando o jogador retorna ao mapa após perder uma vida. As músicas são bem divertidas, e combinam com os personagens e toda a ação desempenhada!
O efeito sonoro mais estranho e estridente vem dos inimigos, que emitem um barulho irritante enquanto estão voando. Outro som estranho é das fagulhas elétricas quando ricocheteadas no cenário. Os sons também não conseguem funcionar em conjunto devido a limitações da época. Já os efeitos sonoros das ações do personagem principal são mais coerentes, bem como o barulho dos estouros, quedas e colisões.
Legado:
"Balloon Fight" recebeu uma única sequência direta para o Gameboy, chamada de "Balloon Kid". Lançado em 1990 pela Nintendo em conjunto com a Pax Softnica, a programação é de Gunpei Yokoi, famoso por ser considerado o "pai do Gameboy". Yoshio Sakamoto foi chamado novamente para trabalhar mais uma vez como diretor de design. O game tem mais qualidade de conteúdo, apresentando a personagem principal chamada Alice, que parte em busca de seu irmão Jim que acidentalmente foi levado por uma forte corrente de vento ao encher diversos balões de uma vez. Jim deixa um rastro de balões para que Alice possa segui-lo. O game é bem interessante justamente por apresentar cenários diferentes, como florestas, montanhas e cidades.
Além de "Balloon Kid", um jogo exclusivo do Club Nintendo do Japão foi lançado em 2007, e tem por personagem principal Tingle, originado de "The Legend of Zelda". "Tingle's Balloon Fight" é um remake, se apropria das duas telas do Nintendo DS e tem basicamente a mesma jogabilidade de "Balloon Fight".
O título original voltou a ganhar relevância ao ser anunciado como um dos 30 jogos incluídos à memória do Nintendo Classic Edition, retro-console que estará nas lojas em Novembro de 2016 na América do Norte.
Conclusão:
Arcades são diversões rápidas, desafiadoras e viciantes. "Balloon Fight" é memorável, divertidíssimo e viciante. Existem pontos negativos, como determinados efeitos sonoros e cenários repetitivos. O modo Ballon Trip é um jogo à parte do modo principal, e serve apenas como aperitivo, visto a dificuldade absurda intimidar jogadores menos habilidosos. A jogabilidade pode ser inconveniente para jogadores menos pacientes, mas jamais deve ser menosprezada. Grande parte da experiência de "Ballon Fight" é vivida através do modo principal. Se o jogador se dedicar e insistir em mais partidas no modo competitivo, com certeza encontrará um desafio cativante! E não esqueça de chamar um amigo para jogar de vez em quando! Quanto à pergunta do início deste review: sim, "Ballon Fight" com certeza merece ser jogado com os amigos em uma sala de estar!
BLACKBELT Virtual Dojo of Games: Resumo da avaliação e GRADUAÇÃO DE FAIXA:
  • Gráficos: Os personagens são divertidos e bem expressivos! As animações fluem de maneira simples, apresentando um trabalho bem executado para a época. Os cenários são repetitivos, se privando apenas pela troca de cores em novos estágios.
  • Jogabilidade: Apesar de existir uma certa dificuldade em controlar o personagem principal diante a física de colisão programada, o jogo oferece um desafio crescente e bem ajustado. Com paciência e estratégia, é possível controlar formidavelmente seu balonista.
  • Músicas e Efeitos Sonoros: A música tema é excelente. O encaixe das demais músicas é bom e condiz com a ação mostrada na tela. Alguns efeitos sonoros deixam a desejar, mas não chegam a irritar tanto.
  • Replay Value: O jogo acaba sendo repetitivo depois de algumas partidas, o que o torna naturalmente desestimulante. "Balloon Fight" é um game para diversão rápida e direta, sem a pretenção de se prolongar. Apesar de se tratar de um arcade e não existir um objetivo final, "Balloon Fight" é bem divertido por promover uma competição acirrada e estratégica!
    CERTIFICADO DE GRADUAÇÃO DE FAIXA
    Tendo sido produzido pela NINTENDO R&D e comercializado pela NINTENDO para NINTENDO ENTERTAINMENT SYSTEM a partir do ano de 1986, o BLACKBELT Virtual Dojo of Games confere honrosamente ao game BALLOON FIGHT a graduação de 4º KYU por seus feitos no ramo de jogos eletrônicos.

    NOTA FINAL: 6,0
    2 Players (simultâneos) Cartucho (NES); Arcade PCB (Playchoice); e-Reader Card (Gameboy Advance); Digital Download (Virtual Console)
    2D Sidescroller; Arcade; Platform; Arcade (Playchoice); Nintendo Entertainment System; Gameboy Advance; Nintendo 3DS; WII; WII-U
    Balloon Fight; Nintendo; http://www.nintendo.com/games/detail/balloon-fight-wii-u
    IMAGENS: