Introdução:
A incomparável obra de Bram Stoker, "Dracula", é fonte inesgotável de inspiração do gênero e considerado como um dos romances mais famosos da literatura gótica ao lado de "Frankeinstein" e "O Médico e o Monstro". Esta brilhante obra fez permitir diversas releituras muito interessantes tanto sobre a aterrorizante figura do Conde Drácula quanto sobre o mito dos vampiros. Depois do grande sucesso do livro, diversas mídias artísticas receberam incontáveis interpretações deste universo de terror: histórias em quadrinhos, cinema, RPGs de mesa e videogames. De Text Adventures a Fighting Games, memoráveis vampiros participaram de nossas jogatinas, sejam como árduos inimigos a serem vencidos, sejam como protagonistas!
Amigo leitor, prepare seu coração (ou melhor, corações)! Neste review, os portões do castelo maldito do Conde Drácula se abrem a espera de tolos que ousam atravessá-los! Lançado inicialmente para o Family Computer Disk System no Japão em 1986 com o título de "Akumajo Dracula", o Nintendo Entertainment System foi contemplado em 1987 com o game que é considerado por muitos como um dos maiores clássicos do sistema: "Castlevania"!
Pouco tempo depois de ser lançado no ocidente, a Nintendo levou o título para os arcades "Playchoice 10" e "Nintendo Vs. System". Em 2002, a Konami trouxe o mesmo jogo em CD-ROM no título "Konami Collector's Series: Castlevania & Contra" para Windows. "Castlevania" chega em 2004 para Gameboy Advance com o selo "NES Classic Series". Em 2007, chegou a vez do Virtual Console receber o clássico para Nintendo Wii e Nintendo Wii-U. Em 2013, o título passou a ser disponibilizado também para o e-shop do Nintendo 3DS. Mais recentemente, "Castlevania" não poderia deixar de estar entre os 30 títulos de lançamento do Nintendo Classic Edition lançado em Novembro de 2016. Em Setembro do mesmo ano, "Castlevania" completou 30 anos de existência, resistindo ao tempo privilegiadamente ao lado de clássicos como "Metroid", "Pac Man" e "Super Mario Bros."!
História:
A cada 100 anos, as lendas revelam que o príncipe das trevas chamado Drácula é trazido novamente à vida por seus adoradores. Caminhando entre os vivos, o Conde Drácula apresenta à humanidade o símbolo máximo de seu poder: seu imenso castelo maldito. Para colocar fim ao império das trevas comandado pelo Conde, um representante legítimo do clã dos Belmont deve enfrentá-lo pessoalmente, combatendo-o com o auxílio de um chicote sagrado chamado Vampire Killer, passado de geração em geração. A família dos Belmont tem seguido à risca a tradição de devolver o Conde Drácula para o reino dos mortos, mas sempre que o mal prevalescer no coração dos homens, um culto das trevas estará disposto a reviver seu mestre.
Transilvânia. Em 1691, o culto dos seguidores ao senhor dos vampiros novamente clamaram por seu ressurginemto. O Conde Drácula retorna, tal como as lendas proferiram. Mais uma vez, ele deve ser devolvido ao sono eterno pelo poder do Vampire Killer! Simon Belmont, representante do tradicional clã de caçadores de vampiros, deve adentrar ao lar do príncipe das trevas e destruí-lo, sozinho, armado com o lendário chicote sagrado...
Jogabilidade:
"Castlevania" possui mapas muito bem desenhados que levarão Simon Belmont para calabouços, cavernas, torres em ruínas e diversas armadilhas. Em scroll direcionando da direita para a esquerda tradicionalmente, ou da esquerda para a direita, subir escadas e mais escadas, pular abismos e plataformas: os estágios que subdividem uma fase reservam desafios formidáveis nunca antes explorados neste sentido em comparação a outros do gênero, que predominantemente apresentavam mapas limitados apenas da esquerda para a direita, sem grandes variações. O level design da primeira fase foi elaborado basicamente sob scroll tradicional (da esquerda para a direita), servindo como parte introdutória do jogo. As fases seguintes levam o jogador a setores mais variados, vislumbre indicado no mapa do castelo que é montrado a cada fase vencida. São 6 fases contendo blocos de 3 setores cada, o que totaliza em 18 setores no jogo. Para se ter êxito neste game, o jogador deve ultrapassar cada estágio dentro do tempo decrescente estipulado e derrotar o chefe de fase em sua morada no fim do terceiro bloco.
O jogador tem reservadas inicialmente três vidas para continuar do estágio onde morreu e continues ilimitados recomeçar do início da fase. Diante o grande desafio à frente, não deve ser tão difícil assim enfrentar os muitos monstros do castelo de Drácula, pois o poder de resistência de Simon Belmont é condicionado por uma barra de energia, muito favorável em comparação aos frágeis heróis que morrem apenas ao enconstar nos inimigos. "Castlevania" possui contudo dura dificuldade, constantemente criticada pela movimentação travada do herói, que parece não responder suavemente aos comandos do jogador, obrigando-o a calcular cada passo, principalmente diante abismos e escadas. Neste âmbito, "Castlevania" muito se identifica em "Ghosts'n Goblins", que igualmente possui resposta rígida nos controles. Ambos games são conhecidos por não perdoar deslizes alheios! Encostar nos inimigos não resulta em morte instantânea pela barra de energia que segura um pouco a vida do jogador, mas o recuo causado pelo choque pode levar Simon diretamente para a boca de um abismo durante as fases de plataforma! O jogo coloca intencionalmente inimigos em pontos onde Simon pode cair em um abismo durante o dano, o que geralmente causa muita frustração! As opiniões são divididas quanto ao assunto: uns acham que a dificuldade do jogo gira em torno dos "defeitos" causados na movimentação travada do personagem que consequentemente abriram oportunidades para os programadores pregarem diversas armadilhas que se aproveitam dessa deficiência. Outros acham que a movimentação rígida foi acertiva por favorecer a busca do jogador em empenhar-se mais, adquirir habilidade e experiência. A verdade é que ambas as afirmações separam perfeitamente os jogadores que amam e odeiam o jogo verdadeiramente. As conclusões que tiro sobre a jogabilidade e dificuldade: a dosagem de ambos é perfeita somente se o jogador dominar completamente os controles e ter boa relação com o ritmo cadenciado de jogo, e a recompensa para quem se dedicar torna-se aos poucos gratificante. O jogo não traz dificuldade infernal tal como "Ninja Gaiden" o é, que por sinal tem controles bem mais responsivos em comparação a "Castlevania". Portanto, se acostumar com as ações rígidas do personagem e ter cuidado em certas armadilhas poderão levar qualquer jogador longe!
Manter-se vivo em "Castlevania" não apenas diz respeito ao domínio de posicionamento do personagem, mas fundamentalmente diz respeito ao alcance e poder da arma principal de Simon Belmont, o chicote sagrado "Vampire Killer". Boa parte da jogabilidade de "Castlevania" é baseada nas ações que são realizadas habilmente com o poder de alcance da arma. Por isso, "Castlevania" se distancia da jogabilidade frenética de "Ghosts'n Goblins", baseada no disparo de armas de médio e longo alcance. Simon Belmont tem o auxílio de armas secundárias (sub-weapons) para suprir o alcance de sua arma principal ao custo de corações. Isso mesmo, corações são coletáveis e servem como munição para as armas secundárias. Por sinal, os corações e armas secundárias estão geralmente estocados em candelabros! A barra de energia, por sua vez, é reestabelecida por um belo frango assado encontrado dentro de blocos de concreto e paredes! Toda essa inversão lógica surgiu por parte dos programadores devido a intenção que eles tinham em homenagear os grandes sucessos de terror do cinema, como se o jogo fosse mesmo um filme ou peça de teatro. Na tela de apresentação, são vistos pequenos quadrados alinhados nas bordas da tela, o que lembra um rolo de filme. Os monstros mitológicos encontrados no game também caracterizam os filmes de terror, como a Medusa, a Múmia e a criatura de Frankenstein. A concepção de obter itens em candelabros e paredes, apesar de estranha, é plenamente aceita e natural no mundo dos games, tradição que só se extinguiu em "Castlevania: Lords of Shadow" (Playstation 3, X-Box 360 e PC).
Tanto sua arma principal quanto sua arma secundária recebem upgrades quando coletados os respectivos ícones de melhoria do armamento. O chicote recebe dois upgrades, sendo que o primeiro amplia a força de seus ataques e o segundo amplia seu alcance. Os upgrades representados pelos ícones "II" e "III" indicam o aumento do número de disparos possíveis para a arma secundária, que sem o upgrade se limita a um único disparo. Existem outros itens que auxiliam diretamente a Simon quando coletados: o vaso mágico garante invencibilidade temporária, além de desintegrar inimigos que encostem em Simon; a cruz desintegra todos os inimigos da tela; os sacos de dinheiro garantem pontos extras.
Embora existam diferenças de performance entre as armas secundárias, como o alcance, arco de direção e poder de fogo, todas são tecnicamente funcionais. Interessantemente bem projetadas, as armas secundárias possuem funcionalidades mais voltadas para a situação presente frente os obstáculos, e inteligentemente, as opções por armamentos durante a partida são mais flexíveis ao jogador. Em "Ghosts'n Goblins", a arma principal escolhida será praticamente sua companheira permanente, isso até o jogador ter a sorte de encontrar outra arma melhor para substituí-la, sendo uma cansativa e demorada busca. Em "Castlevania", a disponibilidade de armas secundárias é mais frequente durante os estágios. Além disso, o jogo foi projetado para possibilitar o jogador a obter a arma mais indicada em alguns estágios antes de se deparar com determinados obstáculos. Há um bom exemplo no último estágio, onde o relógio é a sugestão de melhor arma para atravessar as escadas e engrenagens móveis devido o número elevado de inimígos que podem derrubá-lo (sua propriedade é paralisar temporariamente todos os objetos da tela), e felizmente esta arma é encontrada predominantemente em candelabros pelo caminho da fase. Desde que o jogador tenha a arma mais indicada contra os bosses, as lutas podem ser facilitadas. Entender o uso e o momento de desferir ataques com arma principal e a arma secundária durante os confrontos maiores é uma habilidade essencial para o jogador dominar. Mesmo diante situações complicadas contra os chefes das fases finais, o segredo é adotar rapidamente boas estratégias de ataque e ser veloz na execução dos golpes.
Gráficos:
O esplendor e a imponência do grandioso castelo de Drácula é retratada apenas por ruínas e mais ruínas. Nas áreas internas do castelo, como a entrada para o palácio, nota-se um ambiente abandonado, entregue ao clima de horror que o jogo se propõe. Os cenários são bem detalhados para a época, característica marcante que foi adotada em cada um dos jogos subsequentes da série. As paredes ao fundo são cheias de tijolos e deteriorações, cortinas rasgadas e rachaduras. Em áreas fora do castelo, estátuas quebradas e cheias de musgo, janelas e pontes incompletas compõem o fundo dos cenários proporcionalmente, apresentando um nível de detalhes impressionante para um jogo daquele tempo. Quando adentrar o calabouço, espere por crânios espalhados no chão, caixões, grilhões e esqueletos pendurados. O chão e as paredes que delimitam a borda dos níveis por onde se passa são constituídos de grandes blocos quadrados, algo que também caracteriza a série. Não se sabe se a pouca variação de cenários ocorreu por falta de tempo, limitações técnicas ou decisões internas, mas os ambientes passam a ser um pouco repetitivos, algo perdoável graças ao bem projetado level design.
Os sprites dos inimigos são bem desenhados e obedecem proporcionalmente os demais objetos. Os monstros foram muito bem desenhados, especialmente a Múmia, a criatura de Frankeinstein e a Morte, todos bem caracterizados! Diferente da versão MSX, o sprite de Simon Belmont tem por cores predominantes o amarelo e o marrom, escolha feita provavelmente para destacar o personagem ainda mais diante dos inimigos.
Os gráficos são excelentes e proporcionam momentos marcantes, como quando são avitadas as torres mais altas do castelo ao fundo do cenário, indicando o lugar onde o Conde Drácula aguarda para a batalha final!
Músicas e Efeitos Sonoros:
"Castlevania" tem por ambientação o castelo do Conde Drácula, e naturalmente se espera uma trilha sonora que seja condizente com essa ambientação. Mas "Castlevania" possui uma trilha sonora ainda melhor! O tom adotado para as músicas é um pouco diferente das histórias de terror, pois elas são acompanhadas de ritmos mais acelerados que mesclam o horror do ambiente assombrado com a ação e a adrenalina contidas no heroísmo de Simon Belmont. A música tema "Vampire Killer" da primeira fase é considerada um verdadeiro clássico, pois consegue expressar com exatidão a intrepidez e a coragem de um herói corajoso a adentrar em um ambiente hostil de um castelo mal assombrado. E as faixas seguintes seguem basicamente essa mistura de ação e terror, exatamente como é a natureza do jogo!
Os efeitos sonoros são muito bons! Mas para que o jogo fosse ainda mais assustador, faltaram ao menos efeitos sonoros que caracterizassem mais os monstros, tal como há em "The Legend of Zelda", lançado no início de 1986. Os sons que os monstros fazem nos calabouços de Hyrule são aterrorizantes para a infância de muitos! Imagine se "Castlevania" ousasse um pouco mais nesse sentido?
Conclusão:
A palavra de boas vindas que você, amigo leitor, mais vai receber de "Castlevania" é: "GAME OVER". E é um "GAME OVER" injusto muitas das vezes. Nos pergaminhos sagrados dos games oldschool, as palavras que se repetem exaustivamente são: "paciência", "insistência" e "experiência". Este que vos escreve, no papel de Simon Belmont, nunca fez ruir o castelo maldito do Conde Drácula sem savestates. Aconselho não usar o recurso, pois com certeza prejudica a real experiência de jogo. Quando criança, nem chegava perto deste game depois de passar um fim de semana frustrante por alugá-lo! Até chegar "Castlevania: Symphony of the Night", qualquer salto em plataformas é um problema, qualquer inimigo intencionalmente posicionado é mortal e qualquer "GAME OVER" te devolve para o início da fase, obrigando-o a reunir forças por conta própria para tentar mais uma vez. A jogabilidade é travada e pouco amigável para iniciantes, contudo a insistência e a experiência são as armas mais capazes de sobrepujar as horrendas criaturas do impiedoso castelo do Conde Drácula. As músicas são magníficas, os cenários são bonitos e bem detalhados, e mesmo diante dificultosa mobilidade, o chicote sagrado "Vampire Killer" e as armas secundárias apresentam jogabilidade responsiva, o que garantem a diversão! "Castlevania" é considerado um grande clássico por possuir elementos chave até hoje utilizados para os jogos mais recentes da franquia. Observar trinfante a queda do castelo de Drácula no horizonte ao amanhecer é uma experiência única! São por estes e muitos outros motivos que gosto tanto de "Castlevania"!
BLACKBELT Virtual Dojo of Games: Resumo da avaliação e GRADUAÇÃO DE FAIXA:
  • Gráficos: O trabalho em detalhar cenários e objetos levou "Castlevania" a obter gráficos impressionantes para a época! Os desenhos dos sprites ficaram bem caprichados! Embora o repertório gráfico dos cenários seja um pouco repetitivo por caracterizar predominantemente ruínas e calabouços, o aspecto gráfico é agradável e bem construído no ambiente proposto de terror.
  • Jogabilidade: O desafio é ideal para jogadores dedicados e capazes de se acostumar com a controversa jogabilidade. Simon Belmont tem movimentação incômoda e muitas vidas serão desperdiçadas por pulos mal calculados em plataformas, inimigos maleficamente posicionados próximos a abismos e chefes de fase impiedosos! Cada salto, cada investida e cada avanço devem ser bem definidos para sobreviver em "Castlevania". Apesar destas características, o desafio pode ser superado com um certo treino.
  • Músicas e Efeitos Sonoros: As músicas são empolgantes e ditam o rumo adequadamente durante as fases! O ritmo acelerado mesclado ao tema de terror resultou em músicas memoráveis!
  • Replay Value: Ao derrotar o Conde Drácula e assistir aos créditos finais, o jogo não é encerrado: o jogador é devolvido à primeira fase, mantendo a pontuação e demais status, porém desta vez os inimigos são mais rápidos e agressivos! Se a ação já era intensa durante o jogo normal, experimente sobreviver a esta segunda jornada!
    CERTIFICADO DE GRADUAÇÃO DE FAIXA
    Tendo sido produzido pela KONAMI e comercializado pela KONAMI para NINTENDO ENTERTAINMENT SYSTEM a partir do ano de 1986, o BLACKBELT Virtual Dojo of Games confere honrosamente ao game CASTLEVANIA a graduação de 2º KYU por seus feitos no ramo de jogos eletrônicos.

    NOTA FINAL: 8,0
    1 Player Cartucho (NES / GAMEBOY ADVANCE); CD-ROM (PC); Memória Interna (NES Classic Edition); Digital Download (Virtual Console)
    2D Sidescroller; Platform; Nintendo Entertainment System; PC; Gameboy Advance; Nintendo Classic Edition; Nintendo 3DS; WII; WII-U
    Castlevania; Vampire Killer; Akumajo Dracula; Nintendo; http://www.nintendo.com/games/detail/castlevania-wii-u
    IMAGENS: