Introdução:
Chegada a era dos 128 bits, um dos primeiros lançamentos para o Sega Dreamcast e simultaneamente para a placa NAOMI dos arcades foi a série "versus" entre as franquias Marvel e Capcom, que apresentou aos jogadores a diferença do que se podia obter com gráficos e processamento avançados. A exclusividade do Sega Dreamcast durou até o lançamento das versões em DVD-ROM do game para os consoles Playstation 2 e X-BOX. No ano de 2002, a Capcom perdeu a licença de uso dos personagens relacionados à Marvel, e devido a reduzida quantidade de cópias permitidas para a comercialização, os preços por uma cópia eram estipulados muito acima do normal. Nove anos após seu lançamento nos arcades, os consoles Playstation 3 e X-BOX 360 receberam uma conversão atualizada produzida pela Backbone Entertainment. Disponibilizado apenas via download, o game conta com achievements e recursos para partidas online. Infelizmente, devido os mesmos problemas com o término de direitos de licença, o jogo atualmente não está mais disponível para venda nas redes PSN e XBLA. A única maneira de ter acesso ao jogo original é adquirir um disco das versões produzidas para os consoles da era 128 bits. Comprar hoje uma cópia original de Marvel VS Capcom 2 requer centenas de reais de investimento. O jogo fez o sucesso como se esperava, tanto que figurou por muitos anos na lista de disputa dos torneios mundiais de Fighting Games. Isso se deve a jogabilidade enfatizada na execução simplificada de combos e na interação de assistências utilizadas pelos personagens integrantes do trio selecionado. Basicamente, estes são os parâmetros que caracterizam um jogo mais fluente em relação aos seus antecessores.
História:
Este sempre foi um dos termos mais esquecidos para a série. No jogo, nada é passado para o roteiro, e tudo fica a ser entendido nas "entre linhas". Ruby Heart (personagem principal deste game) é uma pirata francesa que se propôs a perseguir um monstro maligno e destrutivo que está consumindo todas as formas de vida da Terra, chamado Abyss. Para ajudar em sua difícil tarefa, Ruby Heart convoca os heróis mais poderosos da Terra em seu navio voador para perseguir Abyss juntos. O ser é um gigante revestido por uma armadura de metal que esconde seu corpo composto por puro ácido. Em seu interior se encontra uma esfera negra de metal que aparentemente é a fonte de energia do monstro, sendo que esta revela sua verdadeira forma. Não existe absolutamente nenhuma explicação de sua ligação com os heróis e vilões que já conhecemos dos universos Marvel e Capcom. Nos créditos, as ilustrações dos personagens são exibidas representando possíveis interações entre eles.
Gráficos:
Marvel VS Capcom 2 é um dos primeiros jogos de luta a utilizar personagens produzidos em pixel art e inseri-los em cenários 3D. Todos os personagens inéditos foram desenhados obedecendo o padrão de qualidade reconhecido nos jogos anteriores. O imenso elenco de 56 personagens selecionáveis são harmoniosos na tela mesmo apresentando sprites reutilizados. Quando comparados, os personagens aparentam pertencer a mesma linguagem visual independente de qual jogo estes se originaram, como se todos pertencessem ao mesmo uiniverso visual, o que é muito positivo. Não há estranhezas ao confrontar personagens de jogos anteriores com os mais recentes do título, pois todos os sprites são naturalmente padronizados. Mesmo os personagens inéditos não foram distanciados visualmente em comparação aos monstros de Darkstalkers por exemplo, que apresentam sprites originados em 1994. "Capcom Fighting Evolution" é um anti-exemplo de harmonização visual na reunião de sprites dos personagens. Infelizmente, devido ao número elevado de personagens selecionáveis, muitas animações foram cortadas para readequar certos efeitos especiais. Os personagens dos jogos anteriores não receberam novos sprites, reduzindo o trabalho de desenhar novos movimentos apenas adaptando-os a sprites já existentes.
Os sinais gráficos que representam o impacto dos golpes físicos e raios foram redefinidos por faíscas desenhadas por computador, o que descaracteriza os personagens 2D, visto que antes estes efeitos visuais eram todos desenhados à mão e inseridos como sprites.
Os design dos cenários, ao contrário dos personagens, andam na contramão e não conversam na mesma linguagem visual, o que descaracteriza o jogo drasticamente. Este é um dos erros mais graves cometidos pelos produtores de Marvel VS Capcom 2. Absolutamente vazios, os cenários não apresentam nenhum ambiente coerente com os personagens, independente do roteiro escolhido para guiar a história do jogo. Mesmo que a história impusesse a desolação total do universo ambientado, nada justificaria representar cenários vazios sem uma linguagem visual que conte a história do ambiente. Simplesmente não existem referências visuais no fundo dos cenários! Nem uma sequer! "Marvel VS Capcom: Clash of Super Heroes" apresentava cenários muito bem ambientados e que demonstravam cenas características dos quadrinhos e games do passado envolvendo as séries. Não é preciso muito esforço para representar cenários empolgantes e condizentes com os universos Marvel e Capcom, pois as duas empresas possuem linguagem e história próprias, portanto, mesmo diante limitações técnicas da placa CPSII, os cenários dos jogos anteriores representavam brilhantemente ambientes e situações características dos quadrinhos e games que envolvem os personagens de ambas as séries. Não há um motivo plausível para a produção de cenários tão inccompatíveis com os personagens, incomuns e sem vida. O cenário do parque de diversões parece ser o mais movimentado, mas desagradável visualmente, pois o rosto de um palhaço gigante ocupa quase toda a tela, se tornando algo irritante e sem sentido diante o visual dos personagens que se enfrentam no cenário.
A interface dos menus e a tela de seleção de personagens não expressa nenhuma relação visual aos quadrinhos. Todo o aspecto visual dos menus remete unicamente a letras ilegíveis, grades de neon que representam o cyberespaço, coputadores, etc. A fonte estilizada para as letras que aparecem durante a luta são péssimas, não remetem em nada sobre jogos de luta ou histórias em quadrinhos, e a impressão que deixam ao saltar na tela são de um trabalho de escola feito no WordArt ou no Power Point! Antes de iniciar a luta, as famosas palavras gigantes "READY" e "FIGHT" são simplesmente inexpressivas visualmente!
O único aspecto visual considerável é perceptível no design dos personagens, isso se não realizarmos comparações gráficas com os games de luta concorrentes. "Guilty Gear X" apresentava sprites de alta resolução incrívelmente detalhados, e deixava qualquer game 2D do gênero envergonhado por não acompanhar tal resolução.
Se a linguagem visual acompanhasse as belas ilustrações dos personagens, tudo seria diferente em Marvel VS Capcom 2.
Músicas e Efeitos Sonoros:
Embora este game seja continuação direta de "Marvel VS Capcom: Clash of Super Heroes", alguns efeitos sonoros do arcade anterior não foram reaproveitados. O som característico dos cursores foi substituído por novos efeitos. Outros efeitos sonoros repetitivos deveriam ser amenizados ou reajustados, como por exemplo o som dos cortes de garra do Wolverine. Os efeitos sonoros do "Berserker Barrage" são irritantes, principalmente por se tratar de um dos golpes especiais que mais repetem sons. Este empecilho sonoro começou a ocorrer na versão anterior, e aqui não houveram alterações. Outros sons são infantis (não estranhe em ouvir um "boing boing"), mas não há como classificá-los como irritantes ou impróprios, pois personagens como Amingo e SonSon III são assim caracterizados.
As músicas são horríveis! Não poupo críticas para a trilha sonora, e me recuso a acreditar que alguns arranjos existem em um game deste porte. Se ouvirmos as trilhas isoladamente, ou seja, ouvir sem o acompanhamento do jogo, algumas destas músicas poderiam agradar a alguns. Ouça a playlist no fim da página, e perceberá que a qualidade sonora não é ruim ou defeituosa. O que gera uma grande estranheza é saber que estas músicas são tocadas durante um combate intenso entre heróis e vilões dos quadrinhos Marvel juntamente com os icônicos personagens Capcom, em sua maioria lutadores da série Street Fighter! A única música que condiz com o que acontece na tela é a trilha sonora do último estágio, contra Abyss. As trilhas combinam corretamente com os cenários, mas os cenários não combinam com os personagens e o restante do jogo! O cenário do deserto, por exemplo, é acompanhado por uma música de ritmo mexicano, animado e descontraído. Muitas das músicas são acompanhadas também por vozes alegres. O tema da tela de seleção de personagens é composta pela exaustiva repetição de uma voz feminina cantando "I wanna take you for a ride". Outras músicas recebem o mesmo vocal feminino com frases sem sentido como "drive me crazy" ou "swing your body". Toda esta alegria musical é tocada enquanto o Captain América, Homem de Ferro, Captain Commando, Magneto, Strider, Hulk, entre outros, se confrontam ferozmente!
Devido a jogabilidade de Marvel VS Capcom 2 ser simplesmente incrível e repleta de recursos, estes detalhes na composição dos cenários e trilhas de fundo por pouco não se tornaram insuportáveis.
Jogabilidade:
"Marvel VS Capcom 2" foi considerado como a escolha certa de games competitivos por muitos anos nos principais torneios de fighting games no mundo. Ser o detentor deste nobre título por torneios como o EVOLUTION SERIES demonstra teoricamente que a série alcançou um elevado nível técnico de jogabilidade. Para tornar as lutas dinâmicas, o conceito de formação de times e escolha de assistências foi muito bem elaborado, o que amplia formidavelmente opções estratégicas que resultam em um termo muito usado hoje em "Ultimate Marvel VS Capcom 3": sinergia! Pela primeira vez na série, a escolha de seus personagens é ampliada para a formação de trios, e cada um dos componentes do time conta com a seleção de uma entre três assistências disponíveis determinadas por finalidade em combate. Esta escolha conseqüentemente determina qual Hyper Combo será desferido em um Variable Combination. Pelo descrito até aqui, é possível ter idéia da importância estratégica na escolha de personagens e assistências com a finalidade de formar trios consistentes que resultem em ataques efetivos formados pela sinergia entre seus membros. Abaixo, segue a descrição detalhada de cada uma das mecânicas exclusivas de Marvel VS Capcom 2:
  • 3 VS 3 - Crossover Attack: O jogador tem direito a escolher três entre os 56 personagens disponíveis para formar seu time. Como nas versões anteriores, o Crossover Attack é um dos comandos fundamentais devido a liberdade de trocar de personagem a qualquer momento e recuperar energia aos lutadores fora da área de combate. Para executar o Crossover Attack, basta APERTAR JUNTOS OS BOTÕES FRACOS para que Partner A entre em combate, ou APERTAR JUNTOS OS BOTÕES FORTES para entrar com o Partner B.
  • Assist Type: Após escolher seu personagem, são oferecidos três tipos de assistências baseadas na finalidade dos golpes especiais do personagem escolhido. Os programadores determinaram três golpes especiais do repertório de movimentos de cada personagem para oferecer três escolhas distintas de assistências, identificadas pelas letras α, β e γ para fácil identificação.
    Exemplo: Após escolher Ryu, são oferecidos três tipos de assistência para o lutador:
    Assist α: finalidade Anti Air Type.
    Correspondem a: Crossover Assist: Shoryuken; Crossover Counter: Shoryuken; Crossover Combination: Shinkuu Hadouken;
    Assist β: finalidade Projectile Type.
    Correspondem a: Crossover Assist: Hadouken; Crossover Counter: Hadouken; Crossover Combination: Shinkuu Hadouken;
    Assist γ: finalidade Expansion Type.
    Correspondem a: Crossover Assist: Tatsumakisempuukyaku; Crossover Counter: Tatsumakisempuukyaku, Crossover Combination: Shinkuu Tatsumakisempuukyaku.
    A escolha das assistências pode determinar fortemente o ritmo de ataques do jogador.
  • Partner A e Partner B: Uma grande mudança no layout dos botões foi feita para enfatizar o uso de assistências. Trata-se de uma das mudanças mais significativas da série: a alteração dos tradicionais botões de força! Dois botões foram designados exclusivamente para utilizar assistências mais facilmente. Estes dois botões correspondem a assistência do primeiro e segundo integrantes fora da área de combate respectivamente. Nos jogos anteriores, era necessário pressionar os dois botões médios para executar assistências.
  • Botões simplificados: Dos botões dispostos, quatro são para ataques, e dois para assistências. Estes botões de ataque foram simplificados para desferir golpes normais fracos e fortes, divididos por socos e chutes. Como resultado desta simplificação, os botões médios existentes nas versões anteriores não são mais desferidos livremente, porém estes ataques ocorrem automaticamente após sucederem os primeiros golpes fracos em seqüência. A falta de botões médios trouxe a necessidade de adaptar golpes especiais direcionáveis, em especial dos personagens de "X-Men: Children of the Atom". Em "Marvel VS Capcom 2", os botões de força simplificados limitam naturalmente os golpes e projéteis para duas direções ao invés de três.
  • Chain Combos: Os botões simplificados permitem Chain Combos facilitados graças aos ataques médios seguidos dos ataques fracos com o mesmo botão. A mecânica tornou-se praticamente universal! Boa parte dos personagens pode executar Chain Combos com o mesmo comando seqüencial: ataques fracos repetidos para ativar ataques médios automaticamente, seguidos de um ataque forte ou um launcher para continuar o combo em uma investida aérea.
  • Crossover Assist: Ajustes foram feitos para que as assistências ocorram rapidamente na tela, o que favorece a movimentação de seu Point Character. Ao executar o comando nos jogos anteriores, seu lutador perdia preciosos frames durante sua pose de provocação ao chamar por assistência. Este recurso foi ajustado em "Marvel VS Capcom 2" para que o Point Character tenha tempo de executar movimentos durante a assistência feita pelo outro lutador de seu time. Seu personagem provoca e faz a mesma pose como nos jogos anteriores, mas a recuperação é bem mais rápida. A grande vantagem implementada para esta versão é chamar por assistências durante saltos e golpes especiais! Graças a estes ajustes no framedata, os combates se tornaram mais rápidos e intensos! Há uma clara vantagem em utilizar assistências durante suas investidas, mas o cuidado com punições adversárias continua valendo: caso sua assistência venha a receber algum golpe, o dano resultante é duplicado, e ainda há o risco de sofrer os chamados "Happy Birthdays", ataques que levam os dois personagens de seu time juntos na mesma investida do adversário!
  • Barra de Hyper Combo: Marvel VS Capcom 2 trouxe mais recursos de combate que necessitam do consumo total ou parcial de barra de Hyper Combo. Este consumo é compartilhado entre os três integrantes do time. Para melhor proveito destes recursos, o acúmulo máximo de barras de Hyper Combo passou de 3 para 5 barras.
  • Crossover Counter (Variable Counter): Ao defender ataques inimigos é possível impedir investidas contra-atacando imediatamente ao custo de uma barra de Hyper Combo. O contra-ataque é realizado pelo Partner correspondente ao botão pressionado, sendo o comando executado por UM QUARTO DE LUA PARA DE TRÁS PARA BAIXO + PARTNER A ou PARTNER B apenas durante a defesa.
  • Crossover Combination (Variable Combination): O devastador Crossover Combination! Cada um dos personagens executa um Hyper Combo, todos juntos e ao mesmo tempo! O comando é bem simples: basta apertar juntos os botões Parnter A e Partner B. Três barras de Hyper Combo são consumidas ao executar a combinação.
  • Team Hyper Combo (Delayed Hyper Combo): Durante a execução de um Hyper Combo, é possível continuar o ataque com o Hyper Combo dos outros integrantes do time! Enquanto o Hyper Combo é desferido, basta executar o comando do Hyper Combo de seu outro personagem para que este interrompa a ação entre em combate continuando com a devastação! Com o time completo, todos os personagens podem atacar com Hyper Combos, um seguido do outro com o consumo de 1 barra por ataque. Este novo recurso é muito utilizado estrategicamente para a troca do Point Character ou para finalizações.
  • Snap Back: Indispensável estrategicamente, o novo recurso chamado "Snap Back" permite o jogador a forçar o oponente trocar seu personagem! A investida consiste em um ataque normal forte que consome uma barra de Hyper Combo, e se acertar o oponente, imediatamente o Point Character do adversário é retirado da tela para que seu outro personagem entre em combate. O botão de comando permite escolher qual dos dois oponentes restantes deve entrar em combate durante a troca, e é executado com UM QUARTO DE LUA PARA FRENTE + PARTNER A ou PARTNER B. O "Snap Back" é um novo e excelente recurso diante adversários que costumam poupar personagens!
  • Diante todos estes recursos, o jogo se tornou ainda mais competitivo. Mas, infelizmente, mesmo com a elevada qualidade estratégica destes recursos, ninguém escapa do desequilíbrio monstruoso causado por alguns personagens incrivelmente poderosos. A probabilidade de vencer um jogador habilidoso com um time formado por Magneto, Storm e Sentinel é quase nula! A única forma de vencer é não confrontá-lo, simplesmente. Não existe outra solução, salvo jogadores que consigam proezas inimagináveis com outros personagens, mas ainda assim, o esforço destes para utilizar os personagens menos poderosos é grande comparado a dedicação exercida para Magneto, Storm e Sentinel. Jogadores casuais ou dedicados jogam normalmente com os demais personagens, mas os profissionais já causam um grande estrago apenas por manter o Magneto nas partidas. Atualmente, "Ultimate Marvel VS Capcom 3" é o game da série escolhido pelas principais competições de fighting games em todo o mundo.
    Modos especiais de jogo:
    Normalmente, modos especiais de jogo são muito bem vindos e atraem a atenção dos jogadores para prolongar o título nos consoles. Mas os produtores de Marvel VS Capcom 2 conseguiram oferecer um único modo especial de jogo, e se não fosse bastante, é um verdadeiro desastre! Ao encontrar um fliperama com o jogo recentemente implantado ou resetado, apenas 28 dos 56 personagens programados são selecionáveis. Para que o restante do elenco seja liberado, a placa NAOMI conta com um Memory Card que guarda pontos de experiência recompensados pelo tempo total de jogo. Nos consoles Dreamcast, X-BOX e Playstation 2, um novo sistema de pontuação foi implantado para "estimular" o jogador a comprar conteúdos desbloqueáveis na opção Secret Factor, dentre eles cores extras para os personagens disponíveis, cenários alternativos, artes conceituais e principalmente, desbloquear o restante do elenco para a tela de seleção de personagens. Apenas 24 personagens são selecionáveis diretamente, sendo necessários pontos para a compra de 32 personagens bloqueados! A tarefa poderia ser simples, visto que qualquer ação de jogo é recompensada por pontos, seja nos modos Arcade, Versus, Score Attack, Time Attack ou o Training. O grande problema é que a quantidade de pontos recompensada é mirrada, e no mínimo, o jogador deve vencer o Arcade Mode para obter pontos suficientes para comprar um ou, com sorte, dois personagens por vez. Outra falha miserável é a obrigatoriedade de sair e entrar novamente na loja de itens desbloqueáveis para alterar os preços das ofertas, visto que nenhum dos valores é fixado. Se não bastasse, a loja oferece apenas poucos personagens por vez! O jogador não tem a liberdade de comprar o personagem que deseja! Para agravar, vencer o jogo não é nem um pouco recompensador, pois o final é genérico! Este sistema de pontuação não permite que o jogador se divirta, pois o processo para obtenção de pontos é repetitivo, maçante e burocrático! Em 2009, a versão digital (PSN/XBLA) felizmente aboliu o Secret Factor, e o elenco completo está disponível para seleção logo no início do jogo.
    Retroconversão:
    A versão para os consoles que mais se aproxima da qualidade técnica constatada nos arcades NAOMI é, sem grandes novidades, a versão em GD-ROM para Dreamcast, visto que o hardware do console da SEGA é praticamente idêntico aos componentes da placa NAOMI. Poderíamos considerar então a versão de Dreamcast a melhor conversão para o jogo? Dentro de comparações com os consoles da geração 128 bits, a versão de Dreamcast é realmente melhor, contudo, a questão de gosto é maior do que as razões técnicas. O termo que mais diferencia as versões em mídia física do game são os controles. Todos os consoles da era 128 bits possuem à venda controles arcade. Os controles padrão de cada console possuem suas qualidades e defeitos. Portanto, alguns preferem jogar com os controles do Playstation 2, outros preferem os controles do Dreamcast. Se realizarmos uma pesquisa sobre as notas recebidas pela crítica, as notas pouco se distanciam.
    Hoje, adquirir uma cópia da mídia física de "Marvel VS Capcom 2: New Age of Heroes" para qualquer um dos consoles 128 bits é difícil, e normalmente apenas colecionadores se propõem a gastar tanto dinheiro pelo game. Esta aquisição mais se aproxima da finalidade de conquistar para si o status de ter a sempre a disposição o clássico em sua estante de jogos do que pela qualidade técnica do game.
    As versões digitais são melhor definidas, apresentam filtros gráficos de correção (CRISP, SMOOTH e CLASSIC) e tela de combate mais ampla para televisores HD. Também há Achievements diversos para destravar, sendo boa parte destas conquistas destravadas apenas no modo online. Infelizmente, as jogatinas online não funcionaram como deveriam nos testes realizados em um Playstation 3 logado na PSN. Por mais que tentativas realizadas, nunca se consegue encontrar desafiantes. Os Achievements deste game são absurdos, como vencer 300 batalhas online! Não encontro um único adversário, que dirá vencer 300 jogadores! O mesmo ocorre no modo online de "Super Street Fighter II Turbo HD Remix", este que foi produzido também pela Backbone Etertainment, e que serviu como base para programar o modo online de "Marvel VS Capcom 2". Honestamente, não esperava muito, pois a Capcom não pode oferecer um suporte decente nem mesmo para seu título de maior sucesso: "Ultimate Marvel VS Capcom 3". Entre hoje no modo online e espera por adversários vigaristas que jogam com três personagens iguais, ou pior, com o Galactus! Mesmo com os recursos online inoperantes, a razão principal para obter o download da retroconversão deste clássico fighting game é poder iniciar qualquer partido com todos os personagens inclusos desde o início! É uma razão, deveras, importantíssima, pois como constatado, não existem códigos secretos para destravar todos os personagens nas versões em mídia física.
    Os jogadores que puderam garantir o download do game possuem em suas próprias contas uma raridade digital, pois o título, bem como os demais da série VS envolvendo a Marvel, não são mais comercializados desde 2013!
    Se você procura pelo privilégio de ter em sua estante um clássico raro como "Marvel VS Capcom 2", provavelmente esta será sua única razão. Se o jogo for apreciado mais para a diversão e qualidade gráfica atualizada, as versões digitais são a escolha certa.
    Conclusão:
    Reunir 56 personagens, sendo boa parte deste elenco lutadores e heróis dos jogos passados é algo muito atraente, principalmente se considerarmos a possibilidade de formação de trios e a escolha de assistências que diferenciam jogadores e jogadores mundo afora. As versões anteriores traziam personagens importantes, mas nunca chegou perto de apresentar um elenco tão completo quanto "Marvel VS Capcom 2". Infelizmente, o jogo não pôde ser polido devidamente e personagens superiores surgiram para desequilibrar totalmente os duelos, como Magneto, Storm e Sentinel, trio mortífero e virtualmente insuperável nas mãos de competentes jogadores. O maior pecado desta versão está na qualidade gráfica confusa e inconsistente, que parece ter a intenção de impressionar com efeitos 3D nos cenários, letras e sinais gráficos, mas acaba descaracterizando o elemento principal: os personagens. As músicas são dançantes e acompanhadas de arranjos e vozes desnecessárias que potencializam esta descaracterização. "Marvel VS Capcom 2: New Age of Heroes" ainda assim é um excelente jogo, tudo graças ao carisma de seu imenso elenco e aos incríveis recursos de jogabilidade.
    BLACKBELT Virtual Dojo of Games: Resumo da avaliação e GRADUAÇÃO DE FAIXA:
  • Gráficos: Os cenários e a linguagem visual deixam muito a desejar. Apenas as ilustrações e o design dos personagens novos são agradáveis.
  • Jogabilidade: É o que salva "Marvel VS Capcom 2", e faz com que o game seja jogado até hoje. O elenco de personagens disponíveis é vasto e não deixa margem para reclamações quanto a falta de algum personagem. As lutas são divertidas, intensas, e sempre há alguma novidade para se aprender no game!
  • Músicas e Efeitos Sonoros: As músicas não são defeituosas tecnicamente, e não apresentam uma má qualidade de produção. O problema é que as músicas em nada combinam com o jogo. A trilha sonora apresenta músicas dançantes e repletas de Jazz, que causam certa estranheza. Os personagens do game são guerreiros, lutadores, poderosos mutantes, e mesmo para os personagens mais caricaturais como Amingo, Sonson III e Roll, as músicas não os representam.
  • Replay Value: Depende muito dos objetivos do jogador. Ter um Memory Card (VMU para o Dreamcast) com todos os lutadores destravados é uma tarefa que, quando cumprida, trará certo prestígio se assim considerar. O game não oferece finais específicos para os personagens, o que é não é nada estimulante.
    CERTIFICADO DE GRADUAÇÃO DE FAIXA
    Tendo sido produzido e comercializado pela CAPCOM para ARCADE a partir do ano de 2000, o BLACKBELT Virtual Dojo of Games confere honrosamente ao game MARVEL VS CAPCOM 2: NEW AGE OF HEROES a graduação de 3º KYU por seus feitos no ramo de jogos eletrônicos.

    NOTA FINAL: 7,0
    2 Players (Versus Mode) Arcade (NAOMI); GD-ROM (Dreamcast); DVD-ROM (Playstation 2/X-BOX); Digital Download (PSN/XBLA/Apple App Store)
    2D Fighting Game; Head to Head; Versus Series Arcade (Sega Naomi); Dreamcast; PlayStation 2; XBox; XBox 360 (XBLA); Playstation 3 (PSN); MAC IOS (Apple App Store)
    Marvel VS Capcom 2; Versus Series; Capcom; Marvel http://en.wikipedia.org/wiki/Marvel_vs._Capcom_2:_New_Age_of_Heroes
    IMAGENS:
    Screenshots: