"Street Fighter V" finalmente foi lançado!
Disponível para o público, jogadores encontram dificuldades para utilizar o modo online devido ao grande número de usuários.
20 de Fevereiro de 2015 Rafael de Oliveira Update
Lançado oficialmente em 16 de Fevereiro de 2016, data simbólica que remete ao lançamento do lendário "Street Fighter II: The World Warrior" para arcade (06 de Fevereiro de 1991), "Street Fighter V" chega finalmente às prateleiras físicas e digitais. Disponível exclusivamente para Playstation 4 e PC Windows, o título passou por longos testes públicos, o que permitiu exibições exclusivas de jogadores de renome internacional graças à proximidade dos produtores com a comunidade através de Peter "Combofiend" Rosas, procedimento de divulgação e testes já conhecido em lançamentos anteriores. Além disso, os testes "beta" apresentaram os personagens praticamente prontos a cada versão, e muitos duelos puderam ser travados antes do lançamento oficial.
A Capcom prometeu constantes atualizações afim de tornar "Street Fighter V" um serviço, eliminando versões de atualização em disco para o título. Além disso, a empresa prometeu disponibilizar "gratuitamente" personagens adicionais que serão lançados no futuro. As transações para aquisição destes novos lutadores se baseará em dinheiro real (transação direta) ou dinheiro virtual conquistado com as interações do jogador nos modos de jogo que ofereçam essas recompensas, o que provavelmente exigirá do jogador muitas horas de jogo e árduas conquistas.
Composto de 16 lutadores, o game foi desenvolvido para atender amplamente o público, tanto jogadores casuais como veteranos e profissionais, e seu refinamento será enfatizado nos modos online através da Capcom Fighters Network, ferramenta que fornece amplas informações sobre perfis de jogadores, replays e buscas por adversários. O sistema é robusto, pois apresenta diversas estatísticas de cada jogador em seu perfil (como personagens mais utilizados, golpes desferidos com maior frequência, vídeos das últimas partidas, etc.) e permite encontrar e seguir facilmente amigos e jogadores profissionais. Infelizmente, muitos relatos de problemas envolvendo o modo online foram constatados, causando frustração e ansiedade em todos os que adquiriram o título. Um patch será lançado para tentar corrigir os problemas.
Para quem for jogar sozinho, o modo arcade foi removido do jogo, algo nunca antes alterado em "Street Fighter", e no lugar o jogador pode acessar um modo de jogo introdutório da história de cada lutador, que em seu gameplay apresenta apenas 3 a 5 lutas por personagem, sendo todas elas relativamente fáceis de se vencer. Tambem há o Survival Mode, que é considerado o possível substituto do "arcade mode", único que permite competir livremente contra todos os personagens controlados pela CPU. O modo campanha previsto para Junho de 2016 terá a pretenção de valorizar o single player, mas a medida foi adotada mais para não deixar de atender a pedidos. Abaixo, o trailer de lançamento:
"Street Fighter V" promete muito! Acompanhe o BLACKBELT Virtual Dojo of Games para mais notícias, pois muitas novidades e personagens estão previstos para o novo título da série mais influente dos Fighting Games!
Opinião:
Apesar de ser um jogo tradicional e ter muitos fãs já consolidados mundo afora (notavelmente sou um grande fã), o lançamento de "Street Fighter V" não me empolgou tanto. É triste, mas somente teremos um verdadeiro "Street Fighter V" daqui a alguns anos. Pagar R$ 250,00 por um game melhorado da versão "beta" é um erro terrível, e considero até um descaso por parte da Capcom! Teremos conteúdo em um futuro breve, mas infelizmente o lançamento passou a ser uma mera formalidade. Não me contento com este tipo de tratamento dado aos games, mas a tendência hoje é esta. Faltou muito conteúdo para apresentar "Street Fighter V" oficialmente, em especial para os modos offline, que se não bastasse um modo história limitado e com ilustrações apenas razoáveis, não há um modo arcade para estimular o jogador a enfrentar o computador em um nível ajustável e ser bem recompensado durante os desafios. Faltou conteúdo! Não faltam comparações que justificam a mancada da Capcom: "Mortal Kombat X", "Guilty Gear XRD", até games mais antigos como o próprio "Street Fighter IV" apresentaram bom conteúdo quando estrearam nos consoles. Muita gente não conseguiu jogar no modo online ainda, o que é outro aspecto negativo, principalmente por se tratar de um jogo mais voltado para o lado competitivo. E há outros defeitos que arranham a lenda: personagens deformados (com mãos gigantes, exageradas), cabelos sólidos que atravessam as roupas, muita polêmica em relação à sensualidade das lutadoras (a caricaturização de Laura beira o ridículo, e a Capcom ao invés de pesquisar um pouco preferiu agradar os japoneses tarados que em tempos mais românticos pausavam o game para conferir os atributos da Chun Li), as músicas novas não são impactantes (duas músicas são empolgantes, no máximo), o modo tutorial é limitadíssimo e deixa passar a oportunidade de ensinar técnicas de movimentação geral frequentemente utilizadas pelos jogadores (principalmente em relação aos seus termos ainda recentes para muitos, como o "cross-up", "target combos", "link combos", etc)... "Street Fighter V" não é perfeito, e só está vivo graças à jogabilidade já consagrada por títulos anteriores. O jogo é muito bom, irresistível devido a tradição de seu nome, mas "Guilty Gear XRD" e "Mortal Kombat X" são verdadeiramente completos, minuciosos em cada conteúdo. A crítica não é voltada totalmente ao que "Street Fighter V" realizou, mas ao que "Street Fighter V" deveria ter realizado nesta geração.
O "Street Fighter" que estou jogando atualmente? "Hyper Street Fighter II: The Anniversary Edition" para o Playstation 2. Também não é um game perfeito, e obviamente não deve ser comparado a "Street Fighter V", mas continua me divertindo! Considero o "Street Fighter II: Champion Edition" o melhor "Street Fighter" existente. Para encerrar, segue abaixo um resumo dos prós e contras deste lançamento de "Street Fighter V":

Prós até o momento:
  • Espera por chamadas online a qualquer momento, mesmo nos menus.
  • Framerate impecável em 60 FPS, garantindo animações com fluidez.
  • Cross Play entre Playstation 4 e PC.
  • Perfis de usuários com informações estatísticas.
  • Training mode com atalhos acessíveis pelo Touchpad do "Dualshock 4".
  • Elenco inicial de personagens bastante agradável (Karin Kanzuki, Zangief, Rashid).

  • Contras até o momento:
  • Modos para single player ínfimos, principalmente por não existir modo arcade.
  • Artes a mão in game pouco caprichadas (mesmo se tratando do lendário Bengus, ilustrador de longa data da série).
  • Cinematics e artworks belíssimos, porém pouco aproveitados in game até o momento.
  • Modo história limitadíssimo.
  • Gráficos com pequenos problemas na caracterização, e poucos cenários disponíveis.
  • Polêmicas com sexualização de Laura, Rainbow Mika e Cammy.
  • Falhas no ingresso ao modo online, ao que se espera serem resolvidos em breve.
  • Games concorrentes do mesmo gênero trouxeram muito mais conteúdo em suas estréias.
  • Notícias Relacionadas:
    Todas as imagens contidas neste website são de propriedade de seus respectivos autores.
    Copyright © 2016 - BLACKBELT Virtual Dojo of Games - Todos os direitos reservados.